domingo, 29 de dezembro de 2013

Época de S. Silvestres

As corridas de S. Silvestre proliferam por esse país fora. Parece que não há terra que não tenha a sua corrida. Saúda-se a proliferação de eventos desportivos e, sobretudo, de gente com hábitos desportivos para nelas participarem. Eu estive na S. Silvestre de Lisboa.

Desde há uns dias andava com alguns problemas físicos, mais concretamente a nível muscular. Como tal tentei ir de forma controlada, a rondar os 4'00/Km, sem exageros. Mas o tal do S. Sivestre não estava comigo. No final da R. do Ouro a equipa das meninas do Águias de Alpiarça "estacionada" à saída de uma curva - acho que uma delas tinha caído. Bem que travei e me tentei desviar, mas não evitei uma escorregadela e o choque com o grupo ficando "pendurado" numa delas, mas estendido no chão. Rapidamente recuperei a marcha e lá segui no meu ritmo forçado. Sempre que tentava acelerar um pouco a dor agudizava-se e, chegado ao início da Av. da Liberdade, ao Km. 7,5, resolvi desistir. Não havia necessidade de sofrer e agravar as coisas.

Com esta decisão veio também a de não participar na S. Silvestre da Amadora, nem na Maratona de Sevilha e a de olhar, exclusivamente, para a época de Triatlo. Para já será tempo de curar a mazela e relevar a natação, o ciclismo e o trabalho de força.

Feliz 2014.


Foto:  São Silvestre de Lisboa

2 comentários:

Artevelha disse...

Foi pena a prova e a consequente lesão, ou agravamento da mesma, agora repara se isso se passa lá na frente imagina quem sai dos sub 50 e que vai até aos 40, eu sei que não sou um atleta mas entre andar a 4:09 e 5:00 é toda uma grande diferença numa prova de 10 Kms, consegui passar os sub 50 quase no fim da rua do Ouro, depois de não sei quantos sprints, não acabei mal, mas penso haver algumas coisas para rever, menos pelos resultados, mas mais pela segurança.As melhoras!!!

Corro, logo Existo disse...

É sempre uma chatica quando o destino se atravessa à nossa frente e nos faz alterar os nossos objectivos.

Votos de uma rápida recuperação e que 2014 seja um ano em cheio, seja nas provas de atletismos, seja no triatlo.

Abraço.

Fernando Varela